Governo reduz IPI de móveis, revestimentos e luminárias

Governo reduz IPI de móveis, revestimentos e luminárias

 

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou ontem (26) a prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), a desoneração estava em vigor desde janeiro e acabaria no final deste mês.

 

 

 

 

Além da prorrogação da redução do IPI (Imposto sobre produtos industrializados)    para os produtos da linha branca (fogão, geladeira, máquina de lavar e de secar) por mais três meses, o governo anunciou a diminuição do imposto também para móveis, laminados e revestimentos e luminárias.

No caso de móveis, a alíquota cai de 5% para zero, laminados e revestimentos, de 15% para zero e luminárias, de 15% para 5%. As novas alíquotas valerão para o mesmo período da linha branca: até junho.

A medida faz parte da estratégia da equipe econômica para tentar estimular a indústria e reativar a economia neste início de ano.

Nas últimas semanas, diante dos sucessivos números ruins da produção industrial, o governo vem se empenhando para animar o empresariado.

Depois de uma rodada de conversa do ministro Guido Mantega (Fazenda) com alguns setores que sofrem com a concorrência dos importados, na última quinta-feira, a própria presidente Dilma Rousseff entrou em cena e num encontro 28 peso-pesados da indústria prometeu medidas para "defender" a produção nacional.

O Ministério da Fazenda prevê que o governo deixará de arrecadar R$ 489 milhões com as desonerações. Em contrapartida, os setores beneficiados não poderão demitir trabalhadores. Segundo Mantega, as medidas são para reativar a economia que já apresenta sinais de recuparação.

Depois do anúncio, o ministro foi para uma reunião com empresários na sede da Federação das Indústrias de Estado de São Paulo

 

LINHA BRANCA

 

Para fogões, a alíquota, que era de 4%, foi zerada. Para as geladeiras, o percentual foi reduzido de 15% para 5% e, para as máquinas de lavar, de 20% para 10%. A alíquota sobre tanquinhos também foi zerada (era de 10%).

A desoneração da linha branca já havia sido feita em abril de 2009. Na época, a medida também foi prorrogada.

 

 

Fonte: Folha.com, por Valdo Cruz - Sheila D' Amorim