Vendas do setor ficam estáveis no 1º semestre

26/08/2015 12:40

Em junho, as vendas do setor supermercadista em valores reais - deflacionadas pelo IPCA/IBGE, apresentaram queda de -4,72%, na comparação com o mês imediatamente anterior, e queda de -3,04% em relação ao mesmo mês do ano de 2014, de acordo com o Índice Nacional de Vendas ABRAS, divulgado hoje, pela entidade. No acumulado do ano, as vendas não apresentaram variação na comparação com o mesmo período do ano anterior.

 

Em valores nominais, as vendas do setor apresentaram queda de -3,97% em relação ao mês anterior e, quando comparadas a junho do ano anterior, alta de 5,59%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 8,06%.

 

De acordo com o vice-presidente da ABRAS, João Sanzovo, a expectativa do setor é que as vendas cresçam no segundo semestre do ano, quando se encontra o melhor momento do setor, que são as festas de Natal e Ano Novo. "O primeiro semestre do ano decepcionou em vendas, porque no acumulado até agora apenas empatamos com os resultados do ano passado. Esse resultado se deve ao momento difícil da economia, evidenciado pelos baixos indicadores de emprego e de confiança do consumidor. Esperamos que esse quadro se reverta nos próximos meses, e que o setor possa alcançar resultados melhores de vendas até o final do ano", afirma.

 

Diante desse cenário, o vice-presidente divulgou que a nova expectiva de crescimento de vendas da ABRAS para o ano é de 0,5%. A última projeção da entidade, informada em maio, era 1%. "Temos a previsão de fechar 2015 com um crescimento no mínimo estável ante o ano anterior", destacou Sanzovo.

 

 


Abrasmercado
Em junho, o *Abrasmercado, cesta de 35 produtos de largo consumo, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisada ABRAS, registrou alta de 1,19%, passando de R$ 406,20 em maio paraR$ 411,03 em junho.

 

 

As maiores altas foram impulsionadas por cebola (16,72%), batata (8,99%), sabão em pó (4,42%) e xampu (4,12%). Já as maiores quedas foram registradas por tomate (-12,79%), biscoito cream cracker (-4,44%), massa sêmola espaguete (-1,47%) e desinfetante (-0,98%).


Regiões
Em junho, as cestas de todas as regiões brasileiras apresentaram alta. A da Região Norte foi a que apresentou maior crescimento (2,54%), atingindo o valor de R$ 463,35, seguida pela região Nordeste (1,91%) com o valor de R$ 352,54. Confira todos os valores das cestas por região abaixo:

 

 

*Abrasmercado (cesta composta por 35 produtos de largo consumo: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica).

 

 

 

Redação Portal ABRAS