Vendas de Páscoa nos supermercados devem ficar estáveis em 2015, aponta Abicab

21/01/2015 15:54

Economia retraída e as famílias endividadas foram os principais motivos para a queda nas vendas de chocolate na Páscoa de 2014 nos supermercados: -7,8% em relação ao ano anterior. “Para este ano, não há perspectiva de crescimento para o setor na data sazonal. Acreditamos que as vendas ficarão estáveis  nos supermercados, iguais ao do ano passado" informa  Getúlio Ursulino Netto, presidente da Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados) durante o 26º Salão de Páscoa 2015, apresentado hoje (20/1) pela manhã em São Paulo.

Porém, mesmo diante deste cenário econômico, o presidente ressalta que a Páscoa – que neste ano será comemorada no dia 5 de abril – é um evento afetivo para o brasileiro e é importante o varejista ter novidades nas parreiras e em outros pontos dentro da loja. Segundo Netto, mesmo com contenção de despesas, o consumidor não vai deixar de comprar um ovo de chocolate. Pesquisa realizada pelo Ibope e encomendada pela associação revela que, na Páscoa, 79% dos brasileiros possuem o hábito de presentear amigos e familiares com chocolates.

As principais marcas de chocolate estão otimistas com a Páscoa e apresentam 150 lançamentos para a data, considerada a mais importante do ano para o setor. “Na Páscoa de 2014, foram produzidas 20,2 mil toneladas de chocolate pela indústria e chocolaterias, o que correspondeu a cerca de 100,2 milhões de ovos de Páscoa, segundo o instituto  Nielsen. O total de 2015 ainda não foi fechado, pois a produção está em andamento, mas já sabemos que as empresas geraram aproximadamente 26.500 empregos temporários”, afirma Ubiracy Fonseca, vice-presidente de Chocolate da associação.

De acordo a Abicab, o Brasil é o terceiro maior consumidor e produtor do mundo em chocolates, com consumo per capita é de 2,8 kg/ano.

 

Fonte: Revista SM, por Adriana Silvestrini