Presidente da Fecomércio-RO prevê aquecimento da economia no 2º semestre

28/03/2012 10:42

 

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada em parceria pela Fecomércio/RO e Confederação Nacional do Comércio (CNC), relativa ao mês de março, em Porto Velho, mostra que 96.652 famílias endividadas o que, percentualmente, representa 81,2% que é um pouco abaixo dos 81,6% de fevereiro.

 

 

 

Os endividados com contas em atraso, porém, permaneceram no mesmo patamar de fevereiro, em 16,4% das famílias e os sem condições de pagar suas dívidas aumentaram de 3,4%, em fevereiro, para 4% em março. As famílias muito endividadas são 7,4%, as mais ou menos endividadas são 38,9%, pouco endividados 34,9% e quem não tem dívidas 18,8%.
Para o presidente da FECOMÉRCIO-RO, Raniery Coelho, “A queda reflete o fato de que as famílias de Porto Velho estão procurando ajustar seus orçamentos. Como há uma sensível melhora no crédito, a renda não está tão comprometida e o governo tem tomado medidas para incentivar a produção, é provável que, a partir de maio, as vendas do comércio voltem a se acelerar, porém, a  nossa expectativa é de que somente no segundo semestre o mercado voltará a se aquecer”.
Segundo a pesquisa de março os carnês superaram, com 64% das famílias endividadas neles, os cartões de crédito (52,1%) passando a liderar o ranking como a principal fonte de dívidas. Em seguida, apontam-se o crédito consignado (7,9%), o financiamento de veículos (4,9%) e, por fim, o crédito pessoal (4,7%). O tempo médio de atraso das contas foi de 51 dias e o tempo médio de comprometimento com as dívidas de 5,3 meses. O comprometimento médio das rendas das famílias de Porto Velho, em março, foi de 25,6%, sendo que somente 7,2% tem sua renda comprometida em mais de 50%.

 
Fonte: FECOMÉRCIO-RO/CNC