Preços mundiais de alimentos ficam estáveis

07/09/2012 13:35

É o que revela o índice global de preços de alimentos da FAO (agência das Nações Unidas para agricultura e alimentação). O índice - que mede a evolução mensal dos preços mundiais de uma cesta de produtos de base, como cereais, oleaginosos, lácteos, carnes e açúcar - tinha subido 6% em julho após três meses de recuo, e deflagrado mais temores de crise mundial de preços.

Mas hoje (6/9), em Roma, o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, tomou a iniciativa de anunciar pessoalmente o resultado de agosto, com o índice ficando no mesmo nível de 213 pontos, sem alteração em relação ao mês anterior.

“Essas cifras são tranquilizadoras. Devemos continuar vigilantes, mas não se justifica falar de crise alimentar mundial”, afirmou Graziano.

Para a FAO, os países importadores não devem entrar em pânico e acelerar compras, que na verdade impulsionam os preços. E os exportadores não devem impor restrições nas suas vendas, como aconteceu na crise de 2008.

O índice de agosto não mostrou mudança nas cotações de cereais e de oleaginosos. E uma forte baixa do preço do açúcar foi contrabalançada por alta no custo da carne e de produtos lácteos.

 

Fonte: Valor Econômico