Porto Velho será contemplada com investimentos em saneamento e mobilidade urbana

07/03/2013 07:48

Brasília - A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira (6), no salão Oeste, do Palácio do Planalto, a liberação de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), para Estados e cidades médias. Com R$ 130 milhões para obras de saneamento básico e mobilidade urbana, o município de Porto Velho será um dos 73 municípios brasileiros contemplados.

Em seu discurso, Dilma afirmou que o Brasil precisa de saneamento para atender o brasileiro que está saindo da miséria e que precisará de serviços públicos no país. “Essa é uma questão republicana. De todas essas áreas, a que mais me mobiliza a colocamos maior volume de recursos é no saneamento. Todos sabem que este é um fator que envolve também saúde pública e meio ambiente”, disse a presidenta.

Segundo Dilma, os recursos em investimentos no setor de mobilidade urbana também vão impactar na qualidade de vida dos cidadãos. Ela destacou que, nesse contexto, a frente de investimentos prevista para as cidades de médio porte é fundamental.

Para o governador Confúcio Moura, o investimento em abastecimento de água anunciado pela presidenta irá contemplar a cidade de Porto Velho em 100%. Com isso, a rede de esgoto saltará de dois para 70% na capital do Estado. O projeto está previsto para ser concluído em dois anos.

Transportes

A capital do Estado também receberá recursos específicos para os corredores de ônibus que serão investidos em melhorias urbanas e acessibilidade. Os investimentos de transporte anunciados para Porto Velho deverão atender, principalmente o alargamento de ruas que facilitarão o transporte coletivo. “Tudo isso é para encurtar o tempo do trabalhador que sai de casa para o local de trabalho”, disse Confúcio.

Os recursos anunciados são do Orçamento Geral da União (UGU), e não são empréstimos. Somados aos outros recursos de obras em andamento, Rondônia ultrapassa R$ 1 bilhão. “Talvez seja o Estado que mais captou recursos na região na Amazônia dentro do PAC 1 e 2, além dos robustos investimentos de financiamento do BNDES nas usinas hidrelétricas do rio Madeira. Só elas somam aproximadamente 50 bilhões de reais. Isso justifica o crescimento do Estado de Rondônia”, disse Confúcio.

Agilidade

Para ogovernador, o investimento será de imediato –“Os recursos já estão à disposição na Caixa Econômica Federal (CEF), e acredito que dentro de 30 dias os Estados fecham os contratos com a Caixa, aí é só elaborar as licitações para executarmos a ordem de serviço”, disse.

Com a nova regra do Regime Diferenciado de Compras (RDC), alguns projetos serão dispensáveis, ressaltou o governador. “Você já licita o projeto básico e o que deseja fazer. A empresa ganhadora elabora o projeto básico e o projeto executivo, e efetua a obra, encurtando o tempo da licitação em 58%”, afirmou Confúcio.

 

Fonte: Decom