Pão de Açúcar troca executivos e reestrutura unidade

07/09/2012 13:04

A Companhia Brasileira de Distribuição - CBD (Grupo Pão de Açúcar) anunciou, na noite de sexta-feira (31), o desligamento dos executivos Caio Mattar, vice-presidente de Negócios Especializados e presidente do Conselho de Administração da Nova Pontocom; Hugo Bethlem, vice-presidente de Relações Corporativas; e Sylvia Leão, vice-presidente de Gestão de Gente.

Ainda conforme o comunicado, a área de Negócios Especializados será reorganizada. Alexandre Vasconcellos permanecerá como CEO do GPA Malls & Properties. Os negócios de Drogarias e Postos de Combustível serão transferidos para a Divisão de Varejo, sob responsabilidade de José Roberto Tambasco, vice-presidente de Negócios do Varejo.

Ramatis Rodrigues, vice-presidente de Estratégia Comercial, Marketing, Supply Chain e TI, será indicado à presidência do conselho de administração de Nova Pontocom, enquanto Vitor Fagá assume a diretoria executiva de Relações Corporativas, mantendo-se também à frente da área de Relações com Investidores.

Além disso, a área de Gestão de Gente ficará interinamente sob responsabilidade de Enéas Pestana, CEO da companhia, até que seja concluída a seleção de um novo profissional.

"A companhia reafirma seu compromisso com elevados padrões de governança corporativa e reitera que possui uma sólida estrutura de capital, com gestão profissional voltada para promoção do crescimento sustentado, sempre em benefício de seus colaboradores, clientes, fornecedores, acionistas e da sociedade brasileira", diz a empresa, no comunicado assinado por Vitor Fagá.

O Grupo Pão de Açúcar passou a ser controlado exclusivamente pelo grupo francês Casino em 22 de junho. Antes desta data, o controle da varejista brasileira era compartilhado entre o Casino e Abilio Diniz. No último dia 23, o grupo francês adquiriu um milhão de ações com direito a voto da Wilkes, holding controladora do Pão de Açúcar, em sequência ao exercício da primeira opção de venda da família Diniz, conforme previsto em acordo assinado entre ambos em 2005. O Casino agora detém 52,5% do capital votante e 70,4% do capital total da Wilkes.

 

Fonte: Exame.com