Pão de Açúcar aposta em mini-shoppings para atrair clientes

05/09/2013 18:27

A Cia. Brasileira de Distribuição Grupo Pão de Açúcar está investindo US$ 500 milhões na construção de mini-shoppings em torno de seus supermercados, com o objetivo de ajudar a impulsionar operações de supermercado do Pão de Açúcar.

A estratégia emprestada da francesa Casino Guichard-Perrachon SA é ofertar academias, lojas de artigos para bebês em shoppings menores e mais intimistas do que os tradicionais, e mais seguros do que as lojas de rua.

“Vemos uma grande oportunidade de aumentar o que nós já temos”, diz Alexandre Vasconcellos, presidente do GPA Malls Properties. “Essa operação deve atender às demandas dos consumidores, gerar margens boas e ajudar nosso negócio de varejo alimentar”.

A estratégia começou no Rio de Janeiro, com o shopping Conviva Américas, que abriu em junho. O valor das propriedades comerciais na Barra da Tijuca dobrou para R$ 10.754 (US$ 4.508) por metro quadrado desde 2008, segundo o ZAP, o site de classificados das Organizações Globo.

Os aluguéis em shoppings devem alcançar cerca de R$ 400 milhões por ano em 3 anos, diz Vasconcellos.

Vendas e aluguéis

Nos próximos três anos, o Pão de Açúcar investirá aproximadamente R$ 1,2 bilhão em shoppings e quase dobrará sua área bruta locável a 500.000 metros quadrados com a construção de centros em suas propriedades, ancorando-os com suas lojas, disse Vasconcellos.

Com a receita obtida dos seus supermercados e inquilinos, a companhia pode vender mais barato do que outros proprietários, afirmou o presidente.

“Estamos oferecendo custos operativos totais inferiores aos dos operadores tradicionais de shoppings”, explicou Vasconcellos. Em alguns shoppings, os custos estão atingindo de 15 por cento a 17 por cento das vendas dos inquilinos, criando dificuldades econômicas para os varejistas, porque em geral eles não podem pagar mais de 10 por cento, disse Vasconcellos. Ele não deu detalhes sobre os preços cobrados pelo Pão de Açúcar.

 

Fonte: Redação Newtrade