Organização define parâmetros para processados e ultraprocessados

09/03/2016 07:49

A Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), representante da OMS (Organização Mundial da Saúde), publicou novos parâmetros para classificação de alimentos processados e ultraprocessados. O órgão pretende mudar conceitos anteriores sobre o que seriam quantidades excessivas de sal, açúcar e gordura em produtos industrializados. 

A ideia é orientar os Estados-membros para que implementem políticas públicas de incentivo à alimentação saudável. Segundo a agência, dietas pouco saudáveis estariam contribuindo para uma epidemia cada vez maior de doenças crônicas, como diabetes, câncer e doenças do coração.

O novo modelo da OPAS define os alimentos processados como produtos alimentícios que são produzidos industrialmente usando sal, açúcar ou outros ingredientes para preservá-los ou torná-los mais palatáveis. Comidas ultraprocessadas são aquelas industrialmente formuladas que contêm substâncias extraídas de alimentos – como caseína, soro de leite e proteínas isoladas – ou substâncias sintetizadas a partir de constituintes alimentares – como óleos hidrogenados, amidos modificados e sabores.

De acordo com os critérios, os dois tipos de produtos apresentam quantidades excessivas de açúcar, sal e gordura quando a quantidade de açúcares adicionada ou de gorduras saturadas representar 10% ou mais do total de calorias; as calorias associadas a todas as gorduras somarem 30% mais de toda a carga energética do alimento em questão; as calorias da gordura trans forem iguais a 1% ou mais do total do ingrediente; ou ainda quando a proporção de sódio, em miligramas, em relação às calorias for de um para um ou mais.

 

Fonte: Organização das Nações Unidas, por Redação SM