Ministério Público de Santa Catarina investiga adulterações em leite

23/08/2014 09:27

Por meio do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) de Chapecó, o MP-SC (Ministério Público de Santa Catarina) deflagrou nesta manhã (20/8) uma operação contra adulteração em leites vendidos no Estado e no Rio Grande do Sul. Nos mesmos moldes da operação gaúcha denominada Leite Compen$ado, a operação do MP catarinense fez apreensões e cumpriu mandados de prisão dos acusados por adição de ureia e formol no produto.

Chamada em Santa Catarina de Leite Adulterado I e II, a operação cumpriu 20 mandados de prisão e 11 de busca e apreensão em seis cidades catarinenses. Foram presos 14 homens e seis mulheres.

Segundo divulgação do MP-SC, em Vista Alegre, no norte do Estado, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em uma filial da indústria de laticínios Mondaí.

Conforme o MP-RS, o leite era adulterado — com ureia contendo formol para mascarar a adição de água ou com produtos para estancar o processo de adulteração — em território gaúcho e, depois, enviado para a sede da empresa em Mondaí (SC), de onde seria distribuído para o Rio Grande do Sul ou São Paulo.

A apuração também envolve o Laticínios Lajeado, em Lajeado Grande, investigada como uma empresa de fachada que serviria para a compra de produtos químicos para a adulteração. As investigações iniciaram há cerca de cinco meses e estão focadas em empresas de laticínios, unidades resfriadoras e transportadoras de leite.

 

Fonte: Valor Econômico