Hypermarcas volta a crescer no primeiro trimestre

07/05/2012 14:26

De acordo com Martim Mattos, diretor financeiro da Hypermarcas, a empresa começa a sentir efeito das políticas adotadas no ano passado. Após um fim de 2011 magro, a Hypermarcas apresentou crescimento de 14% na receita líquida, no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. O faturamento no período foi de R$ 897 milhões. O lucro líquido aumentou 24%, na mesma comparação, chegando a R$ 40,8 milhões.

No último trimestre de 2011, as vendas da companhia haviam crescido apenas 1%, afetadas pela política comercial adotada pela Hypermarcas no ano passado, principalmente a partir do segundo semestre. As medidas incluíam a diminuição de descontos e prazos oferecidos aos varejistas, o que ocasionou uma redução de estoques na cadeia, com vendas fracas aos distribuidores. Na ocasião, a Hypermarcas afirmou que as vendas ao consumidor final continuaram ocorrendo e que a empresa não perdeu mercado.

O presidente da Hypermarcas, Claudio Bergamo, disse, em março, que não haveria desestocagem neste ano, e a empresa voltaria a "vender demanda".

As vendas no primeiro trimestre foram puxadas pela divisão farmacêutica, que registrou alta de 17,4%. A área de consumo cresceu 9,2%, conforme o balanço financeiro, divulgado no sábado (5/5).
Os gastos com marketing cresceram 20% no período, somando R$ 164,7 milhões, com o aumento de despesas com propaganda, promoção ao consumidor e acordos e verbas para pontos de venda.

A Hypermarcas encerrou o trimestre com geração de caixa operacional de R$ 139,4 milhões, frente aos R$ 31,2 milhões de um ano antes. "É um número que deixa a gente bastante confortável. Gerar caixa é um dos nossos principais objetivos para o ano, ao mesmo tempo em que a companhia cresce", diz Mattos.

Após vender seus negócios de limpeza e alimentos e separar a companhia em duas divisões, a Hypermarcas está integrando suas fábricas. A unidade de medicamentos, em Anápolis (GO), foi inaugurada em setembro. A expectativa é de que a fábrica de produtos de consumo, em Senador Canedo (GO), comece a operar no terceiro trimestre. Um novo centro de distribuição em Goiânia (GO) está previsto para entrar em operação neste mês.

 

Fonte: Valor Econômico