CARNE: Rondônia é citada como referência em conferência da OEA, em Paris

26/05/2012 09:43

Apesar dos problemas com a degradação de boa parte das pastagens em Rondônia, o modelo de produção de carne no Estado foi citado como referência em Paris, na França, durante Conferência da Organização dos Estados Americanos (OEA) que se encerra nesta sexta-feira (25).

 

 

 

A informação foi dada pelo assessor especial do ministro da Agricultura, Francisco Jardim, na manhã desta quinta-feira (24), em Ji-Paraná, durante a cerimônia de abertura da Feira de Tecnologia e Oportunidades de Negócios Agropecuários, a I Rondônia Rural Show.

Segundo ele, o fato de Rondônia ser hoje um exportador de carne para cerca de 35 países, com um rebanho de 12 milhões de cabeças, chamou a atenção.

De acordo com Jardim, há 40 anos o Brasil era um grande importador de alimentos. Hoje, mudou o paradigma e além de autossuficiente, tornou-se um grande exportador de alimentos para todo o mundo. No entanto, segundo ele, daqui a 40 anos o Brasil precisará produzir o dobro de alimentos, sem avançar com o desmatamento em novas áreas.

“A solução, portanto, será investir em tecnologia. E aqui é um exemplo dado pelo governador Confúcio Moura. Está dando a oportunidade para que o produtor, seja ele pequeno, médio ou grande, invista na melhoria da sua produção”, observou Jardim.

Já Laudemir Muller, representante do ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, saudou o evento como “um momento histórico para Rondônia e para o país”. Ele disse que por meio do Fundo de Desenvolvimento da Agricultura Familiar (Fundaf), que garante juros zero para o pequeno produtor na compra de máquinas e equipamentos em valores de até R$ 50 mil, Rondônia é o primeiro Estado a se alinhar ao programa Mais Alimentos, do governo federal, uma linha de crédito do Pronaf que financia investimentos para a modernização da propriedade rural familiar.

A linha permite ao agricultor familiar investir em modernização e aquisição de máquinas e de novos equipamentos, correção e recuperação de solos, resfriadores de leite, melhoria genética, irrigação, implantação de pomares e estufas e armazenagem.

 

Fonte: Decom