Brasil cria 1,944 milhão de novos postos de trabalho em 2011

01/02/2012 11:24

Mesmo com o acirramento da crise econômica mundial, o Brasil criou, em 2011, 1.944.560 postos de trabalho celetistas. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) apontam um crescimento de 5,41% em relação ao estoque de empregos de dezembro de 2010.

O resultado foi o segundo melhor da série histórica do CAGED, menor apenas que o de 2010, quando foram criados 2.543.177 postos. A série contém informações ajustadas, ou seja, acrescidas de declarações fora do prazo, até novembro de 2011.

O ministro interino do Trabalho e Emprego, Paulo Roberto Pinto, considera que, para 2012, a expectativa em relação à geração de empregos formais é bastante favorável. Segundo ele, deverá haver um incremento em torno de dois milhões de empregos formais celetistas.

As informações por setor de atividade econômica mostram expansão generalizada do emprego. No setor de serviços, criaram-se 925.537 postos (6,43%). No comércio, foram gerados 452.077 empregos (5,61%); na construção civil, 222.897 (8,78%); e, na Indústria de transformação, 215.472 postos (2,69%).

A agricultura obteve o melhor resultado desde 2005, com a criação de 82.506 postos (5,54%) Na área extrativa mineral, foram gerados 19.510 empregos (10,33%), saldo recorde para o período. Na administração pública, registraram-se mais 17.066 postos (1,90%) e no setor de serviços industriais de utilidade pública houve a criação de 9.495 vagas (2,48%).

 

Expansão do emprego por região

A análise dos dados segundo o recorte geográfico também revela a expansão do emprego em todas as grandes regiões e unidades da Federação. Com relação às grandes Regiões, os resultados foram: Sudeste (1.000.365 posto); Nordeste (329.565); Sul (328.608); Centro-Oeste (154.593); e Norte (131.429 postos).

Os estados que mais geraram empregos em 2011 foram São Paulo, com 551.771 novos postos (4,77%); Minas Gerais, com 206.402 (5,42%); Rio de Janeiro, com 202.495 (5,95%); Paraná, com 123.916 postos (5,20%); e Rio Grande do Sul, com a criação de 122.286 (5,15%). Foram registrados desempenhos recordes no Amazonas, com 45.186 postos (11,47%); Alagoas, 20.050 (5,91%) e Amapá, que gerou mais 7.256 empregos (11,90%). Os estados de Pernambuco, com 89.607 novas vagas (7,62%);  Goiás , 68.053 postos (6,77%); Pará, 51.493 postos (8,04%); Paraíba, 20.273 postos (6,13%) e Sergipe, mais 19.213 postos (7,38%) também tiveram segundo melhor resultado desde 2003.

 

Fonte: Confederação Nacional do Comércio (CNC)